SEMASA de Itajaí responde Ação Civil Pública e considera água suja normal e pontual

Para o SEMASA de Itajaí, água suja é questão pontual e normal. A empresa garante a qualidade da água. Confira ao final da página alguns vídeos que provam que a água suja em Itajaí não é normal nem pontual.

Em resposta enviada à Justiça de Itajaí, após demanda iniciada pelo Foro Metropolitano da Foz do Rio Itajaí Açu, a administração do SEMASA garante que a água suja é questão pontual e mais, normal, acontecendo em qualquer sistema de tratamento de água. Em petição ao Juízo Estadual afirmam os procuradores da empresa: “Notadamente, traz o Requerente algumas ocorrências de água suja na cidade de Itajaí, como se isso fosse geral e não específico. Trata-se de absurdo Excelência. O SEMASA atende mais de 55 mil imóveis com água, diariamente. Os casos de água suja não passam de 30 (trinta) por mês! Claramente irrisório perto da quantidade de ligações que a Autarquia atende.”

Noutro ponto o SEMASA atribiu a água suja a problemas na rede: “Em todos os casos, onde há interrupção do fornecimento, ocorre o aviso acima destacado, pois é comum ocorrer pontualmente, água suja nos imóveis. Todavia, isto acontece em qualquer sistema de tratamento de água. Não se trata de algo sistêmico como quer indicar a exordial. É algo pontual e normal.”

A AÇÃO: a Ação Civil Pública teve origem após um ano de investigações e apurações, convivendo diariamente com notícias de água suja nas torneiras da cidade de Itajaí, falta de água, água com má qualidade, locais da cidade sem fornecimento de água, se busca a responsabilização do SEMASA pelos danos que causa a comunidade de Itajaí e Navegantes. Vários foram os relatos de água imprópria para o consumo, prejuízos em equipamentos nas casas, prejuízos a saúde dos consumidores.

GROTESCO: ao final da resposta o SEMASA atribiu a Ação Civil Pública – que pretende defender toda a coletividade como grotesca e pede que o Foro seja condenado a pagar multa por alterar a verdade dos fatos em juízo. “(…)Os fatos inverídicos são alegados de forma grotesca, não merecendo qualquer tutela judicial neste sentido.” Além de qualificar a ação como grotesca, o SEMASA parece ter se ofendido com os pedidos deduzidos, pois desqualificou em mais de cinco páginas o Foro Metropolitano, que vem prestando relevante serviço a comunidade regional. “Quantos associados a Requerente tem em Itajaí? Pela Ata inaugural percebe-se que 8 (oito) pessoas são da cidade de Itajaí. Ora, não há como concordar que uma associação, demande em nossa cidade sendo que possui 8 (oito) integrantes da cidade, obviamente não há interesse fático nem processual.” Escreveu o SEMASA.

DESDOBRAMENTOS: após a contestação do SEMASA a ação deve ter seu seguimento normal com a produção de provas, debates e ao final a sentença do juízo. O Foro reafirma o seu compromisso de debater as questões regionais e da cidade, sendo um braço da sociedade que presta relevante serviço a comunidade. Convidamos o SEMASA a debater a questão da água em Itajaí e Navegantes, sabemos dos esforços empreendidos, mas não concordamos com a qualidade da água fornecida a população. Um debate sem ataques seria mais producente.

Problemas normais e pontuais.
Tudo normal na água do SEMASA

Documentos: A petição inicial e a contestação pode ser acessada aqui.

Polêmica na água entre Itajaí e Navegantes expõe a fragilidade do pensamento regional

O Foro concita os atores que cessem as acusações deflagradas e adotem uma postura pró ativa para fornecer um serviço público de qualidade, que é devidamente remunerado e direito básico de todos nós – o acesso ao saneamento básico.

O ano mal começou e a comunidade regional já é exposta a uma nova polêmica, o troca-troca de acusações entre o SEMASA (Itajaí) e a SESAN (Navegantes). Dum lado a cidade vizinha diz que o SEMASA diminuiu o fornecimento de água para a cidade, de outro lado o SEMASA acusa a SESAN de omitir dados técnicos que dão conta sobre a normalidade do processo.

A postura é lamentável de ambas as partes e em nada enobrece a comunidade regional. Ao passo que as empresas públicas de saneamento discutem sobre questões menores, sofrem os habitantes de Itajaí e Navegantes que como expectadores desse processo observam agredidos a falta de comunicação entre duas cidades, cidades que são separadas apenas por um rio. Na era da comunicação ágil, nem sequer um telefonema se deram as empresas.

O Foro concita os atores que cessem as acusações deflagradas e adotem uma postura pró ativa para fornecer um serviço público de qualidade, que é devidamente remunerado e direito básico de todos nós – o acesso ao saneamento básico.

A administração do Foro fica a disposição das empresas, para se for necessário intermediar o contato e, abre o espaço para maiores esclarecimentos.