Defesa Civil em Balneário Piçarras. Observatório segue de olho!

Linha de ônibus entre Penha e Baln. Piçarras será encerrada

Os usuários do transporte público de Penha e Balneário Piçarras ficarão sem uma linha de ônibus, infelizmente a empresa afirma que não há condições da linha se sustentar economicamente. O Foro Metropolitano da Foz do Rio Itajaí Açu chamou os interessados, conversou, mediou uma solução, mas infelizmente a negociação se encerrou sem o resultado esperado.  Cidades de Barra Velha, Balneário Piçarras, Penha e Navegantes perderão essa linha de transporte público. Confira mais detalhes:

 

Impasse sobre as pontes e marginais pode estar próximo ao fim

A Justiça Federal de Itajaí, agendou para o próximo dia 30/10 uma audiência de conciliação entre a empresa Autopista Litoral Sul, concessionária da BR 101, e o Foro Metropolitano da Foz do Rio Itajaí-Açu. Na audiência, a empresa, junto com a agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), discutirão e proporão um plano efetivo para a construção das pontes sobre o rio Itajaí-mirim, em Itajaí, e o rio Camboriú, em Balneário Camboriú, além da construção das vias marginais entre as cidades. A audiência é um desdobramento da ACP proposta pelo Foro Metropolitano em Agosto.

A Ação Civil Pública ainda pede a condenação dos réus ao pagamento de de indenização por dano moral Coletivo. A Autopista informa que já começou a preparar o canteiro de obras para fazer as pontes sobre o canal retificado do Itajaí-mirim, na altura do km 119,5. A obra vai durar um ano.  Já uma pontes das marginais de Balneário está esperando aprovação da ANTT e a outra em fase final de aprovação do projeto, segundo a Autopista.

Foro atua e propõe acordo para Transporte Público

Cidades de Barra Velha, Balneário Piçarras, Penha e Navegantes estavam ameaçadas de perder o transporte coletivo. Suspensão das linhas não ocorrerá nos próximos trinta dias. Uma negociação será iniciada.

ATUALIZAÇÃO: a empresa nos informou na noite de hoje que o prazo da linha será até o dia 12 de Outubro. As demais informações permanecem inalteradas. 

Marginais da BR 101 entre Itajaí e Balneário Camboriú são objeto de Ação Civil Pública

O Foro Metropolitano da Foz do Rio Itajaí Açu ajuizou Ação Civil Pública junto a Justiça Federal de Itajaí, solicitando ao Poder Judiciário que condene a Auto Pista Litoral Sul e Agência Nacional de Transportes Terrestres ao cumprimento do contrato de concessão e o documento denominado PER (Programa de Exploração de Rodovias). A ACP que corre na 3° Vara Federal de Itajaí (50089738120184047208) conta ainda com pedido de liminar para obrigar o concessionário a construir as pontes sobre o canal retificado do Rio Itajaí Açu (nas marginais), que o concessionário seja obrigado a elaborar e executar as pontes sobre o Rio Camboriú, no trecho da BR 101 em Balneário Camboriú.

In casu, o panorama que se pretende explorar nessa ACP está todo descrito na última e demais revisões do PER, que é a construção das vias laterais (vias marginais) e como consequência as pontes que atravessam os rios. Como será bem demostrado nessa ação, o concessionário efetuou a construção, parcial, de vias laterais, mas deixou de implementar as pontes que dariam continuidade as vias, de modo que a situação posta nas cidades de Itajaí e Balneário Camboriú é a de vias marginais que não se encontram, não se prestando ao seu propósito, que é a garantia de segurança e fluidez do tráfego. (…) A não execução das pontes e das vias laterais, tal como narrado, causa transtornos horríveis a população, sendo verdadeiramente fato notório que independe de provas. Congestionamentos incomensuráveis, estresse de toda a sorte, atrasos na logística, perda de tempo, perda de produtividade, perda de competitividade e isso afeta sobremaneira toda a região, que é tratada pela ré com desdém. Não se deve adotar a lógica simplista de que eventual demora na conclusão decorre do Poder Público e que a mora ocasionou inclusive prejuízos à própria concessionária. Tal lógica transforma em letra morta as regras que medeiam os contratos administrativos. A ANTT, por sua vez, não fiscaliza, nada faz, como bem evidenciado ficou no dia da audiência pública. O que não se pode autorizar é que o prejuízo continue sendo repassado à população, com clara violação aos princípios do direito público e as regras legais incidentes. 

A Ação Civil Pública é resultado da audiência pública que ocorreu na Câmara de Vereadores de Itajaí no final do mês de Junho, onde o superintendente da Auto Pista prometeu que em 30 dias daria início as obras das pontes em Itajaí. O Foro no final de Julho oficiou a Auto Pista pedindo informações. Nenhuma resposta foi obtida, razão pelo qual o ajuizamento da ação foi a alternativa que restou. O Juízo Federal, em decisão do dia de hoje mandou intimar a ANTT e a Auto Pista para prestar informações preliminares e ainda intimou o foro para informar se há possibilidade de acordo na referida ação.

Definida na audiência pública pautas para a BR 101 em Penha e B. Piçarras

Com lotação máxima no plenário da Câmara de Vereadores de Balneário Piçarras a comunidade de Penha e da anfitriã discutiram a pauta de prioridades a serem levadas ao concessionário Arteris e a ANTT. Durante duas horas, com um rico debate, ideias foram trocadas, questionamentos foram feitos e encaminhamentos serão tomados. As premissas que irão nortear os trabalhos são:

  1. Melhoria dos acessos de ambas as cidades, com sinalização e segurança adequada;
  2.  Asfaltamento e construção das vias marginais de ambas as cidades;
  3. Construção de um viaduto na BR 101 no Bairro Santo Antônio;
  4. Construção de uma passarela em ponto a ser definido levando em consideração a segurança e o conforto dos usuários;
  5. Melhoria na sinalização dos acessos, indicado as entradas para cada cidade;
  6. Remodelação do acesso principal da cidade de Balneário Piçarras com vistas a segurança, acesso fluídico e projeto de melhoria do embelezamento do acesso. 

A Auto Pista, muito embora tenha confirmado anteriormente a presença, no dia 07 desmarcou, conforme noticiado aqui

Encaminhamentos: do que foi discutido e apontado será feito um relatório que será encaminhado ao Conselho do Foro, a ANTT, a Arteris, ao Ministério Público Federal a Câmara dos Deputados e a Presidência da República, sem prejuízo dos instrumentos dispostos em lei para o Foro atuar. A íntegra da sessão pode ser vista abaixo:

Foro cobra explicações sobre as pontes em Itajaí

O Foro Metropolitano cobrou hoje da ANTT e da Auto Pista Litoral Sul explicações sobre a razão de não ter sido inciada qualquer obra para a construção das duas pontes que fariam a ligação das marginais da BR 101 em Itajaí, as pontes sobre o canal retificado do Rio Itajaí Miriam foram compromissadas pelo superintendente da Auto Pista no dia 25/06. Veja aqui o compromisso. 

Prazo: o observatório regional concedeu um prazo de dez dias para que a empresa apresente por escrito as explicações. O Foro reitera que pretende manter aberto o canal de diálogo com o concessionário público e as agências reguladoras, mas não se afastará de sua prerrogativa legal de defesa dos interesses coletivos da região. Confira a mensagem enviada. 

Nenhum arquivo encontrado no diretório.

Audiência pública discutirá BR 101 em Penha e Piçarras

No próximo dia 08/08/2018 às 19h no plenário da Câmara Municipal de Balneário Piçarras o Observatório Regional promoverá uma audiência pública com representantes da ANTT e Auto Pista Litoral Sul para discussão, levantamento e ações relativas a BR 101 naquela localidade.

O evento é aberto a todos os interessados sendo a presença da comunidade essencial para pressionar os representantes por melhorias, haverá amplo debate e acesso a matéria discutida.

Defesa civil em Balneário Piçarras está sendo estruturada

Reproduzindo nota encaminhada pelo Facebook: “Estamos estruturando a Defesa Civil em Balneário Piçarras para atuar na elaboração de ações estratégicas em busca de evitar ou minimizar desastres naturais na cidade. Fizemos a entrega de um carro ao órgão, que já faz um belo trabalho no município.” Ainda, na data de hoje recebemos a seguinte informação em reprodução a matéria do Jornal do Comercio:

A Defesa Civil de Balneário Piçarras recebeu o Estudo de Identificação de Áreas de Risco ao Escorregamento. O estudo foi elaborado pela empresa ECOin em parceria com a Associação dos Municípios da Região da Foz do Rio Itajaí e serve de base para ações estratégicas. O documento mostra área de risco médio numa elevação topográfica em uma área pontual do bairro Nossa Senhora da Paz – em uma região próxima ao Estádio Quinca Ludo (…)

MP VERIFICA DEFESA CIVIL O Ministério Público de Santa Catarina (MP/SC), através da 2ª Vara, instaurou inquérito para verificar a implantação da Defesa Civil na cidade. O promotor, Luís Felipe de Oliveira Czesnat, solicitou documentos ao Governo Municipal alusivos à formação da Defesa Civil e toda sua estrutura de trabalho.  A Prefeitura confirmou que trabalha na estruturação da Defesa Civil e pediu prazo de 180 para concluir todo o processo, que inclui inclusive a criação de uma estrutura física para o órgão. O prazo foi concedido pelo MP.

Muito embora o canal do diálogo com o Poder Público de Piçarras sempre esteve aberto junto ao Foro Metropolitano, inclusive com o fornecimento de nossos contatos, reproduzimos os documentos acima para fins de melhor esclarecer a população quanto a situação da Defesa Civil em Balneário Piçarras. O Foro sente-se lisonjeado de poder ter participado desse processo que culminou na reformulação das políticas públicas de Piçarras e estará vigilante aos desdobramentos do que vier a ocorrer. Desejando o município pode por meio do endereço eletrônico contato@forodeitajai.org.br encaminhar maiores informações que serão amplamente divulgadas nesse espaço e nos seus canais de comunicação.

População de Itajaí preocupada com a qualidade da água.

Uma das maiores dificuldades enfrentadas pelos habitantes de Itajaí atualmente é a falta de qualidade da água fornecida pelo município. São inúmeras as reclamações postadas diariamente nas redes sociais por consumidores descontentes, com relatos desconcertantes que envolvem diretamente a saúde de cada cidadão.

Segundo dados do Conselho Mundial da Água, todos os dias, por volta de 25 mil pessoas morrem no planeta Terra devido a complicações relacionadas à má qualidade da água.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, cerca de 80% das doenças registradas nos países em desenvolvimento são causadas pela contaminação por água de baixa qualidade, o que se torna ainda mais preocupante quando o contato é diário.

Nas últimas semanas, se intensificaram as queixas dos moradores de diferentes bairros, dando conta de que a água tem chegado as suas casas com a coloração marrom, em razão da presença de barro.

Rodrigo Aurélio Souza de Quadros, morador do Dom Bosco, afirma que a água que entra pela tubulação é amarela e vem estragando as roupas brancas e acumulando resíduos, sem contar que diminui a vazão nas torneiras e queima precocemente as resistências dos chuveiros.

Segundo ele: “O aumento da sujeira na caixa d’água faz com que os gastos de manutenção e limpeza aumentem, pois o processo de limpeza torna-se recorrente. Nosso condomínio adquiriu um filtro de água, a fim de tentar amenizar os danos causados pela água de baixa qualidade fornecida pela Semasa, porém sem êxito, já que é constante o acúmulo de sedimentos no fundo da caixa d’água”.

Em razão disso, a SEMASA emitiu um comunicado informando que os consumidores que se sentirem lesados poderão procurar a empresa para obter o ressarcimento do valor das peças manchadas.

Não obstante a péssima qualidade do produto fornecido, o preço da tarifa pelo serviço de distribuição e tratamento da água disparou. Isso porque, no início de 2018, houve um acréscimo de 10,5% na fatura, o equivalente ao dobro do valor da inflação no período.

Portanto, há um duplo desafio ao poder público na gestão dos recursos hídricos do município: ampliar os sistemas de coleta e, sobretudo, tratar adequadamente o esgoto urbano, investindo em tecnologia para a captação, o tratamento e a distribuição de água.

Questionada a dar explicações sobre a situação atual da distribuição e da qualidade da água em Itajaí pelo FORO, a SEMASA não se pronunciou até a publicação deste texto.

 

%d blogueiros gostam disto: